sábado, 12 de janeiro de 2008

O aparelho ocular

O aparelho ocular é constituído pelo olho e pelos órgãos anexos.

O olho

[Fig.1] Olho Humano

O olho [Fig.1] ou globo ocular é um órgão duplo, situado na zona superior da face, e encontra-se alojado numas concavidades ósseas denominadas órbitas.
Este órgão tem uma forma esférica, ligeiramente achatada, e é constituído por três membranas principais: a esclerótica, a coróide e a retina, que alojam três meios transparentes: o humor aquoso, o cristalino e o humor vítreo.



Anatomia do olho (corte lateral)


As três membranas:
-Esclerótica: membrana mais externa de consistência dura e fibrosa. Constituiu o "branco do olho", sendo opaca quase na sua totalidade, excepto na zona central anterior, a córnea, que permite a entrada dos raios luminosos.
-Coróide: membrana intermédia do olho, que possui uma rede de vasos sanguíneos. É de coloração escura, escurecendo o interior do olho. Esta membrana tem uma abertura na zona central anterior, atrás da córnea, que se denomina pupila, delimitada por uma membrana de cor variável, chamada íris. A coróide encontra-se ligada, na zona anterior, a um músculo designado músculo/corpo ciliar.
-Retina: membrana mais interna do olho. Contém uma rede de terminações nervosas fotossensíveis, ligando o globo ocular ao cérebro, por via do nervo óptico.


Olho (vista frontal)


Células fotossensíveis:
Existem dois tipos de células fotossensíveis: os cones e os bastonetes.
Os cones [Fig.2] permitem a visualização das cores e existem três tipos destas células nervosas, em que cada um se excita com cada uma das três cores primárias: o vermelho, o azul e o verde.
Os bastonetes [Fig.3] são responsáveis pela visualização do branco, do preto e dos vários tons de cinzento.

[Fig.2] Cone
[Fig.3] Bastonete



Proporcionalmente, existem 18 vezes mais bastonetes que cones.
Estes dois tipos de células formam uma camada que se encontra debaixo de outras duas: uma formada pelas células ganglionares (as mais internas) e outra constituída pelas células bipolares (as intermédias). São as células ganglionares que estabelecem contacto com o nervo óptico.
Ainda na retina existem dois pontos característicos:
-Fóvea: ponto de sensibilidade luminosa máxima, uma vez que apenas existe a camada de células fotossensíveis e não as três padrão.
-Ponto cego: ponto de insensibilidade luminosa, situado na zona de entrada do nervo óptico no olho.

Meios transparentes:
-Humor aquoso: líquido que se encontra na câmara anterior, entre a íris e o cristalino.
-Humor vítreo: líquido que se encontra na câmara posterior, entre o cristalino e a retina, sob pressão, de modo a manter a forma esférica do olho.
-Cristalino: lente biconvexa que se situa atrás da pupila e que se encontra fixada ao músculo ciliar.



Órgãos anexos
Músculos da órbita
São sete os músculos da órbita: o elevador da pálpebra, dois músculos oblíquos (superior e inferior) e quatro rectos do olho (superior, inferior, lateral e medial).
Sobrancelhas
Estruturas em forma de arco, constituídas por pêlos, que possuem uma função protectora.
Pálpebras
São duas dobras musculomembranosas constituídas por pele muito fina. As superiores são mais móveis que as inferiores. No rebordo livre, possuem um conjunto linear de pêlos designados por pestanas.
Conjuntiva
Membrana mucosa que une o globo ocular à pálpebra, protegendo o olho de possíveis agentes externos, como poeiras e areias.
Aparelho lacrimal
O aparelho lacrimal [Fig.4] é constituído por várias estruturas: a glândula lacrimal e as vias lacrimais.
A glândula lacrimal segrega as lágrimas que são vertidas na conjuntiva, permitindo humidificar o globo ocular e expulsar pequenas partículas.
As vias lacrimais são contituídas pelos canais lacrimais e pelo saco lacrimal, que permitem conduzir as lágrimas até às fossas nasais.

[Fig.4] Aparelho lacrimal

1 comentário:

Vanessa disse...

Informações muito úteis!!
Obrigado